FAÇA-SE LUZ

TODAS AS DOENÇAS TÊM RECUPERAÇÃO

É natural que rejeite de imediato este título, da mesma forma que rejeitaria se lhe dissesse que você é a causa de tudo. É próprio de uma mente formatada por conceitos preconcebidos. Não tem nada de mais, o resultado é carregado por cada um. Todos começamos por ser assim, é fruto de uma educação reducionista que em vez de facilitar o desenvolvimento, o formata para uma determinada função ou tarefa, consoante a necessidade do sistema em que a pessoa se sente inserida. Tudo começa quando nos é incutido o conceito de normal, de bom e de mau em relação às nossas escolhas e ninguém nos pergunta o que nos faz feliz.

Nada pode ser mais devastador do que o conceito de normal aplicado ao ser humano. É comum incitarmos os nossos filhos ao sucesso sem lhes procurarmos o que os faz feliz. E assim se inicia uma caminhada ao lado da vida. Muitos nascem crescem e morrem sem nunca perceberem que nunca viveram. Outros descobrem que desperdiçaram as suas vidas atrás do que nunca quiseram, já muito perto do fim.  Mas o mundo já mudou e o ser humano começa a despertar dessa hipnose coletiva em que ele próprio se encantou.

Tudo começou nas últimas décadas do século passado. Quando os meus sonhos mais elevados de amor, fraternidade e igualdade para toda humanidade foram esmagados pelo mesmo sistema que me os tinha incutido. Tentei adaptar-me ao sistema e até fui considerado bem-sucedido. Mas quanto mais sucesso conseguia mais vazio e insatisfeito me sentia. Esse vácuo existencial levou-me à procura de preenchimento que culminou nas salas de espera dos consultórios das mais variadas especialidades médicas. Foi um processo que rapidamente culminou na mais profunda degradação física, emocional, mental, social e financeira. Essa profunda degradação obrigou-me a vários internamentos hospitalares e a ser considerado um caso perdido pelas maiores autoridades médicas deste país à beira mar plantado. Encontrava-me em demente estado vegetativo quando me apercebi que estava prestes a desencarnar sem nunca ter vivido. Sentia que não era o corpo que apodrecia moribundo, e que mesmo no auge da força e glória nunca tinha vivido, tudo não tinha passado de uma ilusão hipnótica.

Hoje, vinte anos depois mais jovem e saudável que nunca, estou a escrever estas palavras para quem as quiser ler.

TODAS AS DOENÇAS TÊM RECUPERAÇÃO

O objetivo das semanas temáticas é passar toda a minha experiência adquirida ao longo dos últimos 25 anos na recuperação de doenças graves. Concedendo assim as ferramentas que cada um precisa para, em primeiro lugar, recuperar a sua vida. E posteriormente, ajudar a recuperar a vida de todos que se cruzem no seu caminho. Recuperar de qualquer doença grave é muito simples, mas desde já vos alerto que não é fácil. Exige mente aberta e boa vontade. Se não estás disposto a abrir a mente para aprofundar a verdade, não percas o teu tempo, nem ocupes o lugar de alguém que quer salvar a sua vida.

As questões: quem sou? O que faço aqui? De onde venho? Para onde vou? Serão abordadas dentro de um mecanismo simples de assimilar e estão na base do programa de recuperação para TODAS as doenças.

Vem comigo; tem paciência, vou explicar-te o funcionamento.

OBJETIVO

Na prática, as semanas temáticas tem como objetivo levar o aluno a mergulhar para além da ilusão da aparência da arcaica e rudimentar visão da biologia e física clássica.

O aluno, ao conhecer o mecanismo de funcionamento, basta pô-lo em prática e atrai para si o bem-estar pleno em todas as áreas da vida. Sim, porque uma doença crónica não acontece por acaso. Não cai do céu na hora em que a pessoa saiu à rua. Como disse atrás, o programa é muito simples. Basta aceitar a realidade imutável. SOMOS OS ÚNICOS RESPONSÁVEIS PELA NOSSA VIDA E DESTINO.

“O acaso, sorte e azar é a teoria dos ignorantes, dizia Jesus! Cada um cria a sua realidade consciente ou não disso. Na verdade, estamos sempre a criar. Ou intencional e conscientemente o que queremos ou por defeito criamos o que não queremos.

Vida é multiplicação!

O corpo que cada um de nós habita é vida em forma de gente. Somos naturalmente crescimento. Só se pode chamar “ser vivo “ao crescimento, processo constante de multiplicação. A vida começa numa célula que não para de se multiplicar num processo gestativo, que culmina num universo inteligente de aproximadamente de dois triliões de células que compõem o corpo de um recém-nascido.

Só estar-se vivo, já o faz parte de um sistema inteligente que chamam natureza, onde somente a abundância é natural. Na natureza só existe abundância. Contudo, há aqueles que ainda não conseguem perceber a verdadeira causa da saúde e da doença, da riqueza e da pobreza. Sim! … porque para se recuperar de uma doença grave é preciso que o indivíduo se integre na vida e no seu fluxo evolutivo.

Ninguém nasceu para sofrer atrozmente com uma doença ou para viver alienado sedado por poderosas drogas e muito menos na ignorância, com grandes dificuldades, sem recursos materiais, incapaz de gerir as situações do dia-a-dia.

Apesar dessa realidade existir, somente mostra que, apesar de nascermos e fazermos parte integrante de um universo rico saudável, abundante e inteligente, e cada um de nós ser isso tudo, não sabemos viver de acordo com o fluxo natural da vida.

 O PRINCÍPIO DA ILUSÃO

Da ilusão nasce a pobreza.

Tudo começa de uma forma muito simples. Cada um de nós é parte integrante de um universo inteligente em constante expansão, dotado de uma inteligência e poder infinito, que nasce num planeta maravilhoso habitado e governado por pessoas em estado de desenvolvimento muito primário. Devido ao seu franco atraso, necessitam de um sistema que os mantenha protegido deles mesmos. E apesar da sua origem inteligente e poder infinito, cada novo elemento é preparado desde a nascença para fazer parte daquele sistema vil, demente, corrupto, monstruoso e caduco. O sistema é uma enorme máquina do tamanho do planeta, composta por rodas dentadas (países) que engrenam umas nas outras. Assim o novo habitante, é preparado, desde a nascença, a uma normalização, para manter em funcionamento essa enorme máquina. Cada um de nós faz parte dessa máquina. Não importa se é dente de uma roda grande ou de uma roda mais pequena. Sem dentes, porcas e parafusos a máquina não funciona. Até aqui tudo bem. Afinal qual é o problema? O porquê da contradição? Se fazemos parte de um universo inteligente, dotados de um poder infinito, porque é que a humanidade é tão atrasada? Tem um pouco de paciência, na hora certa a luz é feita.  Porque é que a cada dia que passa aumentam as doenças nesses parafusos, porcas e dentes fáceis de substituir? Não há falta de peças para a máquina. As escolas e universidades estão a produzir todos os dias mais e mais dentes, parafusos e porcas. O problema é a máquina, já não funciona na perfeição, está velha e obsoleta, não tem mais reparação. É preciso sair da ilusão da matéria e descer-se a origem da matéria.

Como é que se muda a realidade de uma pessoa doente?

Qualquer doença é recuperada, quando se mudar o conceito que a criou. Se muitas vezes ouvimos pessoas dizerem que esta ou aquela doença foi curada com este ou aquele tratamento, na verdade a pessoa no decorrer do tratamento mudou a forma de pensar, em determinada área da sua vida. Todos nós conhecemos histórias de criminosos que se tornaram santos ou de pessoas rígidas que se tornaram flexíveis, de pessoas violentas que se tornaram dóceis e afáveis.

Como funciona?

É preciso reciclar os conceitos espirituais obsoletos que criam vítimas da doença e miséria.

Todos sabemos que o vitimismo é o maior obstáculo para o crescimento espiritual e material da humanidade. Mas infelizmente todos os dias são feitas milhares de ações em seu apoio, alimentando o vitimismo e perpetuando a doença e a pobreza e miséria.

É urgente que seja feita luz e que se liberte a humanidade da ilusão. Na verdade só existe vida e abundância na natureza. Tudo é fluxo e harmonia. Mesmo quando a ignorância humana perturba esse fluxo harmonioso de vida e abundância, a natureza reconstrói o fluxo e o equilíbrio de imediato. Tudo funciona assim na natureza.

Somos natureza!

Porquê tantas iniciativas em prol da pobreza e da doença? Quem é que conseguiu ver algo de bom na pobreza ou na doença?  Eu falo de pobreza e doença porque ambas são criadas e perpetuadas, na resistência ao fluxo natural.

Na verdade para que todas as doenças sejam recuperadas, e para que se viva num mundo de pessoas responsáveis saudáveis felizes  é somente preciso mudar o paradigma.

Para acabar e irmos ao calendário da segunda semana temática, deixo somente um pequeno reparo em relação à doença.

Uma doença é estagnação, não tem beleza, é sinónimo de falência. Quando uma doença se manifesta fisicamente, ela não é mais do que a ponta do iceberg visível.

2ª semana temática

18 fevereiro a 24 de fevereiro

Recuperação de doenças do sistema endócrino

Hipertiroidismo, hipotiroidismos, nódulos, obesidade,

Quem mergulhar neste banho de informação nunca mais vai ser a mesma pessoa.