Depressão, a alma envolta em trevas.

Quando se fala em depressão ou de outra qualquer doença do foro emocional muitas são as teses apresentadas. Não estou aqui para entrar em controvérsias com teses rebuscadas ou trabalhos bem elaborados sobre o assunto. Alguns estudos ganharam prémios de grande valor, oferecidos pela indústria do sector.

Tenho a certeza que todos os que têm dedicado o seutempo nessa matéria, deram o seu melhor, convictos que estão a fazer um grande serviço à humanidade. A intenção é boa, mas infelizmente os resultados não aparecem e salvo algumas exceções.

Para nos podermos situar é preciso começar pela vulgar definição de depressão.

Segundo a OMS:

“a Depressão é definida como uma patologia que altera e debilita o corpo e a mente, atingindo principalmente o humor. A principal característica é a perda de interesse pelas atividades no quotidiano, falta de energia física e emocional caracterizada pela tristeza.”

Também apresenta sintomas de baixa autoestima e perda de confiança, adota uma postura de vítima, que alimentada através de um sentimento de culpa. Não é raro pairarem pensamentos de morte e suicídio, há também uma diminuição da concentração e da qualidade do sono e o apetite.

É incrível a quantidade incalculável de estudos já realizados sem se chegar a uma solução perfeita para o problema, nem tão pouco “desvendar “o fator ou fatores que despoletam a alteração do estado de humor.

Os fatores ambientais e a hereditariedade são os dados mais apontados nos estudos.

Aparentemente tudo isso é verdade. Falta de emprego, violência em casa e na rua, problemas conjugais, separação, perda, rejeição, além de outros, parece a conclusão com que todos chegam.

  • Mas se é assim porque é que o fenómeno continua a evoluir à velocidade próxima da velocidade da luz?
  • Porque se teima a encaminhar essas pessoas em sofrimento para os consultórios dos psiquiatras, se os resultados são tenebrosos?
  • Porque existem pessoas no mundo há mais de uma década a serem medicadas com antidepressivos e sedantes, sem soluções à vista?

Se queres saber as respostas para essas perguntas e a solução vem assistir esta quarta-feira dia 11 de Janeiro à palestra online sobre a recuperação da depressão.

Vem esclarecer dúvidas e torna-te um conhecedor que todas as doenças têm recuperação.

Para assistir basta clicar no seguinte link:

http://www.gvolive.com/conference,96683871

Informo que o número de lugares na sala é limitado.
Aparece, e tira as tuas dúvidas!
António Fernandes